O ex-presidente do Conselho Económico e Social Silva Peneda justificou esta quarta-feira o apoio a Rui Rio na disputa pela liderança do PSD por considerar que está “em melhores condições” para efetuar “reformas profundas” no partido e no país.

Em declarações à Lusa, o antigo ministro do Emprego de Cavaco Silva frisou que quando começou por apoiar Rui Rio não havia sequer outro candidato anunciado à presidência do PSD, sublinhando ter também “muita consideração e estima pessoal” por Pedro Santana Lopes.

Nas atuais circunstâncias, em que são precisas reformas profundas não só do partido mas também do país, entendo que o dr. Rui Rio está em melhores condições para as levar a cabo”, defendeu.

Silva Peneda considerou o antigo presidente da Câmara do Porto “um homem muito determinado e um reformador”, duas características que considera essenciais, e apontou que tem ainda um “pensamento muito estruturado sobre o PSD e o país”.

Quando elegemos um líder do PSD estamos também a indicar um potencial primeiro-ministro”, sublinhou.

José Silva Peneda desempenhou as funções de ministro do Emprego e da Segurança Social entre 1987 e 1993, em Governos do PSD liderados por Cavaco Silva, e presidiu ao Conselho Económico e Social entre 2009 e 2015, cargo ao qual renunciou para assumir funções de conselheiro principal do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

O PSD escolherá o seu próximo presidente em 13 de janeiro em eleições diretas, com Congresso em Lisboa entre 16 e 18 de fevereiro.

Até agora, anunciaram-se como candidatos à liderança do PSD o antigo presidente da Câmara do Porto Rui Rio e o antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes.

O atual presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, já disse que não se recandidata ao cargo que ocupa desde 2010.