O presidente do Partido Democrático do Atlântico (PDA), Rui Matos, afirmou nesta sexta-feira que o único partido político com sede nos Açores «não está ameaçado», apesar das várias multas determinadas pelo Tribunal Constitucional.

«Não está ameaçado. O futuro do PDA só está ameaçado se os açorianos e portugueses não o quiserem», afirmou à Lusa Rui Matos, acrescentando que «o partido vai aguardar que as coisas melhorem e quando tiver verbas haverá de pagar as multas».

Em junho o Tribunal Constitucional (TC) multou o Partido Democrático do Atlântico (PDA) e o Partido da Nova Democracia (PND) em 12 mil euros cada e respetivos responsáveis financeiros em 3 mil euros, por não terem apresentado as contas partidárias de 2011.

Rui Matos explicou que o PDA «não tem funcionários» e «vive apenas» das quotas dos seus militantes, já que «como nunca conseguiu eleger nenhum deputado não tem direito a receber qualquer verba do Estado».