«Esta estratégia, em que assume particular importância o contributo e a ação dos países muçulmanos, deverá ser desenvolvida através da promoção de um combate ideológico em defesa dos direitos humanos, dos valores democráticos, da liberdade e da tolerância. Portugal tem-se empenhado particularmente neste combate», precisa o comunicado.