Ricardo Salgado enviou uma carta aos deputados da comissão de inquérito ao BES/GES onde descreve todos os encontros políticos que teve nos últimos meses do banco.
 
Nessa carta, que o «Observador» revelou e que a TVI teve acesso, é revelado um pormenor: o banqueiro também falou com o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, sobre os problemas do BES. 

Tal como o «Expresso» já tinha adiantado, o ex-presidente do banco não teve um, mas dois encontros com o Presidente da República. Na audição que teve no Parlamento, Salgado tinha referido uma reunião com Cavaco Silva, mas afinal foram duas. O conteúdo da reunião também não foi o que o banqueiro disse na altura.

Ricardo Salgado tinha garantido que falou com o Presidente da República sobre a garantia estatal dada ao BES Angola e não sobre a situação do grupo. No entanto, o «Expresso» já tinha revelado que o ex-presidente do BES procurou, em maio de 2014, o «apoio institucional» de Cavaco para salvar o banco, procurando obter «confiança nos planos de recuperação apresentados».

Quando foi confrontado com o encontro com Ricardo Salgado (que agora se sabe terem sido dois), o Presidente da República recusou revelar o seu conteúdo.

«Como tenho dito várias vezes, as matérias tratadas nas audiências com o Presidente da República são reservadas e nunca revelei aquilo que se passa nas reuniões, quer com políticos, quer com sindicalistas, quer com cientistas, quer com empresários. Fazem parte da informação que compete ao Presidente recolher sobre a situação do país», disse, a 9 de dezembro.


Na altura, Cavaco Silva contestou ainda que tenha influenciado a compra de ações do BES, referindo que falou um mês depois do aumento de capital do banco. 
 
Em relação ao encontro com Paulo Portas, realizado a 20 de maio, e que ainda não tinha sido revelado, o ex-presidente do BES terá garantido que serviu para apresentar os mesmos argumentos.

Quanto aos restantes contactos políticos que constam desta carta agora enviada ao Parlamento, Ricardo Salgado já tinha revelado que se encontrou com Pedro Passos Coelho, Maria Luís Albuquerque, Carlos Moedas e até Durão Barroso. 

As datas destas reuniões foram reveladas devido a um requerimento do Bloco de Esquerda.

Veja a carta completa:

Carta de Ricardo Salgado