Proprietários de casas das ilhas barreira da ria Formosa (Algarve) foram hoje expulsos das galerias da Assembleia da República, em Lisboa, depois de gritarem contra o chumbo de diplomas da oposição que visavam parar com as demolições no local.

Vestido com t-shirts pretas com as palavras «Je suis ilhéu [eu sou ilhéu]» - numa analogia à frase «Je suis Charlie», que surgiu depois do atentando contra um jornal satírico francês -, várias dezenas de pessoas deram voz ao seu desapontamento nas galerias.

Logo de seguida, a presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, ordenou a retirada dos manifestantes das galerias e anunciou que o assunto seria tratado em sede de conferência de líderes.

Após a manifestação, o deputado do PSD Hugo Soares notou que os protestos foram feitos a partir da galeria dos «convidados dos senhores deputados» e instou os grupos parlamentares a revelar quem era o responsável por aquela deslocação.

«Os senhores deputados não podem estar sujeitos a este tipo de coação e sujeitos à calúnia e à ofensa», disse o social-democrata.
Assunção Esteves decidiu, no entanto, que não «iria dar a palavra a mais ninguém», remetendo o assunto dos protestos nas galerias para conferência de líderes para se «tratar seriamente esta questão».

Porém, o deputado do PCP João Oliveira ainda se dirigiu ao plenário, recordando que, aquando de protestos de habitantes de bairros sociais, o seu partido assumiu que tinha convidado essas pessoas e deixou a insinuação de que o convite teria partido do PSD.

Em resposta, Hugo Soares garantiu não ter sido o PSD a endereçar qualquer tipo de convite aos moradores das ilhas do Algarve, reforçando que os protestos de hoje «difamaram todos os deputados».

Os diplomas da oposição que visavam travar as demolições nas ilhas da ria Formosa foram hoje chumbados pelas bancadas do PSD e do CDS/PP, enquanto o projeto apresentado pela maioria para «valorizar a Ria Formosa e clarificar o estatuto jurídico do núcleo da Culatra» foi aprovado.

Os partidos da oposição acusaram hoje o Governo de desrespeitar as populações das ilhas barreiras da ria Formosa, no Algarve, com o único objetivo de concretizar demolições, enquanto a maioria PSD/CDS-PP assegurou estar a concluir um projeto do PS.