A coligação "Faro no Rumo Certo", encabeçada pelo PSD, conquistou a presidência da Câmara e da Assembleia Municipal de Faro, nestas eleições autárquicas. Rogério Bacalhau (PSD/CDS-PP/MPT/PPM) foi reeleito em Faro com maioria absoluta, com 43,94% dos votos, elegendo cinco vereadores

De acordo com dados do Ministério da Administração Interna, trata-se de uma diferença de 1.572 votos (38,06%) relativamente ao PS, que elege quatro.

A CDU, que nas últimas eleições conseguiu eleger um vereador, manteve-se como a terceira força política mais votada, com 7,38% dos votos, mas não conseguiu alcançar qualquer vereador, tal como o BE, o PAN e o independente Humberto Correia.

Além de ter conquistado a Assembleia Municipal, o que o PSD não conseguia desde 2001, a coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM conseguiu ainda elevar para duas o número de freguesias sob a sua liderança.

Os sociais-democratas venceram na União de Freguesias da Sé e São Pedro, a maior do concelho, conseguindo destronar a liderança socialista, que perdurava naquela freguesia há largos anos, embora apenas por uma diferença de 37 votos.

A coligação encabeçada pelo PSD manteve a junta de freguesia de Montenegro, a CDU manteve a de Santa Bárbara de Nexe e o PS conseguiu apenas segurar a União de Freguesias de Sé e Estoi.

Rogério Bacalhau tornou-se no segundo presidente a conseguir uma reeleição em Faro, desde 1976, ano em que se realizaram as primeiras eleições autárquicas, feito apenas alcançado pelo socialista João Botelheiro, em 1993.

Depois de um mandato em que governou sem maioria, quer na câmara, quer na assembleia municipal, o social-democrata, que encabeça a coligação "Faro no Rumo Certo", conseguiu agora conquistar 5 dos 9 mandatos em disputa, contra 4 do PS.

A luta entre os dois partidos foi renhida em 2013, com o PSD a ganhar ao PS por 395 votos, mas as eleições de 2009 foram ainda mais disputadas: Macário Correia (PSD) derrotou José Apolinário (PS) apenas por 130 votos.