A repetição do ato eleitoral nas 12 freguesias que no domingo boicotaram as Europeias só se irá fazer caso a contagem dos votos provenientes do estrangeiro não permita a eleição dos quatro mandatos ainda por atribuir.

«Só sabemos se as 12 freguesias vão a votos depois de apurar o número dos votos que chegam dos consulados», disse esta segunda-feira à agência Lusa, Jorge Miguéis, diretor-geral da Administração Interna.

«Os consulados reúnem os votos mais difíceis de escrutinar, uma vez que, se forem em número inferior a 100 eleitores têm de se juntar para poderem ser contabilizados», acrescentou, referindo o caso de Macau como exemplo.

Jorge Miguéis avançou ainda não estar previsto quando serão divulgados os resultados dos votos provenientes do estrangeiro.

Perto de 9,7 milhões de eleitores foram no domingo chamados a eleger os 21 deputados portugueses para o Parlamento Europeu, menos um do que há cinco anos.

O PS é o partido com mais mandatos nas eleições europeias de domingo depois de apurados os resultados em todas as 3.092 freguesias de Portugal e em 54 dos 71 consulados, segundo dados da Direção Geral de Administração Interna (DGAI).

Os resultados indicam sete deputados ( 31,45%) para o PS, seis (27,71%) para a Aliança Portugal (PSD/CDS-PP), dois (12,68%) para a CDU (PCP-PEV), um (7,15%) para o Partido da Terra (MPT) e outro (4,56%) para a Bloco de Esquerda, faltando atribuir quatro dos 21 mandatos de Portugal no Parlamento Europeu, que dependem dos resultados no estrangeiro.