O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, enviou esta sexta-feira uma saudação a António Costa, desejando que possam trabalhar para dar «esperança» aos «mais pobres», num novo «ânimo» à Europa, que não a reduza «um jogo percentual» e de austeridade.

«Podemos juntos fazer a nossa parte, numa esquerda que se ocupa dos jovens trabalhadores, dos jovens precários, daqueles que perdem o seu trabalho, dos desocupados, dos mais pobres, daqueles que hoje esperam da política uma palavra de esperança», afirmou Renzi, que lidera o Partido Democrático italiano.

Numa mensagem em vídeo, Matteo Renzi envia uma saudação «a todos os amigos e companheiros do Partido Socialista Português, reunidos este fim de semana em Congresso, e uma saudação particular a Antonio Costa», seu «colega» autarca, e que espera voltar a tratar por «colega» mas "no Conselho Europeu, quando o Partido Socialista voltar a vencer as eleições.

«Este é um momento muito delicado para a Europa, em que precisamos de investir no crescimento. Basta desta contínua referência à austeridade, ao rigor. Os nossos pais não criaram a Europa para a reduzirem a um simples jogo percentual», afirmou Renzi.

O jovem chefe de Governo italiano diz que matérias como o défice e a dívida «são importantes» e devem ser tidas em conta, mas defende que se tenham em conta também «o ânimo», os «ideais», os «sonhos» e as «paixões».

«É preciso voltar a dar um ânimo à Europa», declarou, na mensagem enviada ao XX Congresso do PS, que decorre sábado e domingo, em Lisboa.

«Para isso contamos convosco, contamos com o vosso trabalho, contamos com o vosso Congresso, contamos com o vosso novo secretário-geral, o vosso líder», sublinhou.

Dirigindo-se ao secretário-geral do PS e dizendo falar «do coração», Renzi deseja-lhe «bom trabalho» e diz que espera pelo líder socialista português em Roma e sobretudo no Conselho Europeu.

«Estou certo que com a tua liderança o Partido Socialista tornará a voar, tornará a vencer», disse a António Costa.