O CDS-PP disse que «agora» o Governo tem «todas as condições para ter sucesso e chegar ao fim do memorando» e pediu «uma mudança de discurso» à oposição, perante «os primeiros sinais positivos» da economia.

«Agora temos todas as condições para ter sucesso, chegar ao fim do memorando e resgatar a economia nacional», afirmou o deputado centrista Hélder Amaral, no final da sua intervenção, após uma declaração política no parlamento.

O deputado do CDS-PP fez um discurso centrado no que disse ser o início de uma inversão da tendência económica em Portugal, com breves alusões à mais recente remodelação governamental, após várias semanas de crise política.

«Temos a firme convicção de que este é um Governo reforçado, preparado para enfrentar um novo ciclo mais focado na economia, no emprego, nas empresas e no investimento», afirmou o parlamentar democrata-cristão.

Para sustentar esta tese, o deputado do CDS-PP referiu o crescimento em maio, «em termos homólogos», das exportações portugueses de bens (5,6%) e extra-comunitárias (9,1%), o aumento do indicador de confiança dos consumidores e «os sinais muito positivos» no setor do turismo.

«O setor do turismo é dinâmico, está vivo e recomenda-se», advogou, salientando que em maio houve «um aumento de 7% no número de hóspedes em relação a maio de 2012».

O deputado do CDS destacou as alterações legislativas do Governo «para tornar mais barato e mais simples o acesso à atividade turística» com «a redução das taxas pagas pelas empresas em alguns casos até 80%» e ainda o combate «ao monstro chamado burocracia».

«Aos poucos e poucos o atual executivo tem desmontado a muralha de aço desse monstro chamado burocracia, pela primeira vez o Estado está na economia a atuar, não para obstruir, não para dificultar a vida às empresas, mas sim para facilitar e ajudar», declarou.

Neste contexto, Hélder Amaral considerou que «é tempo de haver a uma mudança de discurso neste parlamento por parte da oposição».

«Se os consumidores portugueses e os empresários portugueses estão hoje mais esperançados no seu país, porque não poderá também a própria oposição estar? Porque não poderá a oposição adoptar também um discurso mais positivo?», insistiu.

Da bancada do PS, a deputada Hortense Martins acusou Hélder Amaral de viver num mundo que não existe.

"Como eu gostaria que o mundo que aqui apresentou fosse verdade, mas os portugueses sabem que o seu discurso não corresponde à verdade, porque vivem isso na pele, é necessário que os senhores desçam à realidade dos problemas das pessoas e empresas", criticou.

Ao nível do turismo, a parlamentar socialista considerou que o número de turistas estrangeiros «tem aumentado, apesar das grandes malfeitorias do Governo» e desafiou o centrista a imaginar "o que poderia ser esse aumento se o Governo tivesse uma política efetiva para este setor".

Já o deputado social-democrata Nuno Encarnação saudou o tema da declaração política do deputado do CDS PSD e criticou o PS por não elogiar «boas notícias».

«Que saudades temos de ouvir a senhora deputada no Governo anterior. Sempre que saía uma boa notícia elogiava essa notícia, gostava que mantivesse essa coerência», ironizou, como escreve a Lusa.