O cabeça de lista socialista às europeias, Francisco Assis, recusou-se hoje a votar a favor da moção de censura do PCP ao Governo, seguindo a orientação do PS, tendo-se ausentado do plenário no momento da votação.

Em declarações à agência Lusa, o ex-líder parlamentar do PS considerou que o texto da moção de censura do PCP «é provocatório» face ao seu partido.

«Não concordo. Não era capaz de votar aquilo», justificou.

Francisco Assis frisou depois que o texto da moção de censura do PCP «coloca em causa a ligação de Portugal com a União Europeia, o que é inaceitável».

Francisco Assis foi um dos deputados socialistas que contestou na quarta-feira, nas reuniões da bancada do PS, a orientação do seu partido a favor de um voto favorável à moção de censura do PCP ao Governo.

No final da votação, o vice-presidente da bancada do PS António Braga anunciou que o Grupo Parlamentar dos socialistas apresentará uma declaração de voto.

Na quinta-feira, ao final da tarde, a bancada do PS decidiu que os socialistas teriam uma orientação de voto favorável à moção de censura do PCP ao Governo, mas que, simultaneamente, apresentariam uma declaração de voto demarcando-se da iniciativa e do texto escrito pelos comunistas.

Hoje, durante grande parte do debate da moção de censura, o secretário-geral do PS, António José Seguro, esteve ausente, num sinal político de que considera a iniciativa dos comunistas «um frete» ao Governo.