O deputado social-democrata Luís Montenegro decidiu recandidatar-se à liderança do Grupo Parlamentar do PSD, cargo que desempenhou na anterior legislatura.

Num comunicado enviado à agência Lusa, afirma que nos últimos dias foi "instado por vários deputados a dar continuidade ao trabalho feito nos últimos quatro anos e meio", mantendo-se à frente da bancada do PSD neste "momento parlamentar mais complexo".

"Reclamaremos de todos os grupos parlamentares o mesmo sentido de compromisso e abertura que imporemos a nós próprios e não calaremos a nossa voz na denúncia de qualquer ataque aos valores e princípios da democracia de Abril", promete.

Montenegro dá ainda conta que já transmitiu essa decisão ao presidente do partido e primeiro-ministro indigitado, Pedro Passos Coelho, e também aos deputados da bancada social-democrata.

Quanto aos objetivos de um próximo mandato, defende que é preciso "evitar o retrocesso económico e evitar o desbaratar do esforço feito" na anterior legislatura, e assegurar o "respeito pela vontade popular" expressa nas legislativas de 4 de outubro.

"O povo escolheu de forma livre e clara Pedro Passos Coelho para ser primeiro-ministro de 2015 a 2019 e o programa da coligação Portugal à Frente para ser a base programática do Governo. É pelo respeito da vontade popular que nos bateremos nos próximos dois anos na direção do Grupo Parlamentar. Assumiremos, em todas e quaisquer circunstâncias, as nossas responsabilidades", declara.

Além de "sentido de compromisso e abertura", Luís Montenegro promete "toda a lealdade e cooperação democráticas com os demais grupos parlamentares, com a Mesa da Assembleia da República e com as instituições e órgãos de soberania".

Licenciado em direito e advogado, Luís Filipe Montenegro Cardoso de Morais Esteves tem 42 anos e é deputado desde 2002, pelo círculo de Aveiro. Foi eleito pela primeira vez líder parlamentar em junho de 2011 e reeleito em outubro de 2013 para um segundo mandato de dois anos.