O antigo Presidente da República Ramalho Eanes afirmou este domingo que espera ter «a felicidade» de ainda ver Portugal, «de novo, regenerado, coeso, confiante e ousado», numa mensagem lida no almoço do 90.º aniversário de Mário Soares.

Além do «momento especial da vida» de Mário Soares, Ramalho Eanes aproveitou na mesma mensagem para manifestar, enquanto cidadão, o seu reconhecimento pela «dedicada e decisiva ação (do seu sucessor) na luta pelas liberdades, na conquista da liberdade» para o país, assim como a sua «decisiva contribuição na construção da democracia portuguesa».

Num telegrama de aniversário, também o presidente do Tribunal Constitucional, Joaquim Sousa Ribeiro, deu a Mário Soares os «calorosos parabéns» pelos 90 anos de vida, que, considerou, «soube como ninguém partilhar com Portugal».

De acordo com a Lusa, ao almoço, que ainda decorre no Espaço Tejo, na antiga Feira das Indústrias de Lisboa, chegou também o antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes, para quem Mário Soares «é uma estrela da liberdade», antes e depois do 25 de Abril.

«Para mim, só o que ele gosta da liberdade chegaria, independentemente das diferenças, para estar aqui», disse.

Santana Lopes reforçou que Mário Soares simboliza a liberdade, mas acrescentou, «não só ele», lembrando Francisco Sá Carneiro, «que faria 80 anos este ano, o que é curioso».

«Julgo que os dois são traves mestras do regime, juntamente com o professor Freitas do Amaral e Álvaro Cunhal, independentemente do que se passou nos anos a seguir ao 25 de Abril», afirmou.

O antigo primeiro-ministro manifestou, ainda, «admiração pelo percurso de vida» de Mário Soares e sua «capacidade de lutar por aquilo que acredita, sem se importar com vitórias ou derrotas, desde que esteja a fazer aquilo que acha que deve fazer».

«No dia de hoje tenho-me lembrado especialmente de ir, quando era um jovenzinho, ali a uma grande manifestação em defesa do República, que era um jornal democrático, que depois da revolução esteve ameaçado. O Dr. Mário Soares simboliza isso, a liberdade», afirmou.