O primeiro-ministro anunciou hoje que o Governo vai aprovar na quinta-feira uma resolução em que fica “preto no branco” que Portugal não apoia um exército europeu, a propósito da adesão à cooperação europeia de defesa.

O anúncio foi feito por António Costa no final do debate, no parlamento, sobre a próxima cimeira europeia, de 14 e 15 de dezembro, dominado pela polémica em torno da cooperação europeia de defesa, depois de PSD e CDS terem ameaçado votar contra os projetos de resolução sobre o assunto, na Assembleia da República.

“Temos apoiado desde a primeira hora o desenvolvimento das novas políticas da União Europeia (UE), não como alternativa à NATO, mas como complementaridade à NATO”, afirmou, após uma discussão em que PSD e CDS-PP afirmaram ser contrários ao exército europeu.

Na habitual reunião de quinta-feira, afirmou Costa, o Conselho de Ministros vai aprovar uma resolução em que todas as dúvidas colocadas pelas duas bancadas da direita, reiterando o que, alegou, já foi dito pelo executivo.

“Todas as condições estarão explicitadas na resolução do Conselho de Ministros que será amanhã [quinta-feira] aprovada, designadamente aquilo que já dissemos 30 vezes e que ficará preto no branco na resolução: não apoiamos um exército europeu, não apoiamos o princípio da espacialização, nem apoiamos que seja visto como uma alternativa à NATO”, acrescentou.