O PSD acusou hoje o PS de viver atualmente uma luta «fratricida» e de estar num «vazio de ideias», realçando que o Governo «nunca» embandeira em arco em consequência de melhoria de indicadores como os do desemprego.

«O Governo nunca tem embandeirado em arco. Aliás, o que tem permanecido é uma grande consistência, uma grande serenidade, mas com uma grande exigência do primeiro-ministro e de todo o Governo que contraste e muito com a situação do PS, que está numa luta fratricida entre duas fações», realçou o vice-presidente do PSD Carlos Carreiras.

O dirigente social-democrata falava na sede do partido, em Lisboa, depois do líder do PS, António José Seguro, ter-se congratulado com a descida da taxa de desemprego, mas aconselhado o Governo a não «embandeirar em arco» porque ainda existe mais de um milhão de portugueses que quer trabalhar e não pode.

O que tem vindo do PS, advoga Carlos Carreiras, é um «vazio de ideias», reclamando o social-democrata que os socialistas deveriam apresentar as suas propostas, por exemplo, para resolver a situação criada no Banco Espírito Santo (BES).

«A última solução que tivemos em situações análogas por parte do PS foi aquela em que foram os contribuintes de facto que pagaram a conta. Estou a falar da nacionalização do BPN», disse Carlos Carreiras.

«Não basta dizer mal, não basta criticar», reforçou o vice-presidente «laranja», para quem os tempos exigem que «cada um diga ao que vem, que diga qual a sua solução confrontados com os enormes problemas».

Nesta matéria, sublinhou, «foram mitigados ao limite máximo todos os riscos que possam levar a que uma vez mais» sejam os contribuintes «a ter de arcar com más decisões», neste caso de gestão, «que terão de ser apuradas em toda a dimensão».

Na conferência de imprensa desta tarde, o dirigente social-democrata destacou ainda um «indicador extremamente positivo» da economia portuguesa hoje conhecido: o volume de negócios na indústria aumentou 4% em junho, recuperando da queda de 5,8% do mês anterior, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

A par de outros indicadores, como a baixa do desemprego e bons números no turismo, por exemplo, o dado do INE comprova a «resiliência de empresários e trabalhadores portugueses» e vem demonstrar que «o caminho seguido pelo atual Governo tem sido um caminho positivo», defende Carlos Carreiras.