O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, afirmou esta sexta-feira que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014, «não só em cadeia, como em termos homólogos», demonstra «que a estratégia do Governo está a produzir resultados».

«Os dados agora revelados confirmam que a estratégia do Governo e desta maioria está a produzir resultados, 2014 foi um ano de crescimento em que continuámos a ter vários setores de atividade económica com resultados muito positivos, destacaria o setor exportador, foi o melhor ano de sempre das exportações portuguesas, e foi também o melhor ano de sempre no turismo», afirmou o social-democrata no parlamento.

O PIB registou um aumento homólogo de 0,7% no quarto trimestre de 2014 e de 0,9% no conjunto do ano passado, segundo a estimativa rápida do INE, hoje divulgada.

No terceiro trimestre do ano passado, o PIB tinha registado um aumento homólogo superior, de 1,1%.

A estimativa do Instituto Nacional de Estatística (INE) fica aquém das previsões do Governo que, no Orçamento do Estado para 2015 (OE2015), apontava para um crescimento da economia nacional de 1% no conjunto de 2014. Uma previsão corroborada pela Comissão Europeia na semana passada, quando Bruxelas melhorou a estimativa que tinha apresentado nas previsões económicas de outono, que era de 0,9%.

Nas declarações aos jornalistas, Montenegro frisou que «os números do INE são muito significativos» e revelam «um crescimento não só em cadeia, como em termos homólogos».

«Isto só é possível porque fomos em Portugal persistentes e conseguimos que a estabilidade política que tivemos ao longo dos últimos quatro anos e a estabilização financeira do país começassem efetivamente a chegar à vida quotidiana das empresas e por via disso ao crescimento da economia e à recuperação do emprego e à baixa do desemprego», afirmou.

Neste contexto, o presidente do grupo parlamentar do PSD deixou um recado implícito ao PS, dirigindo-se aos que «desdenharam no passado» os indicadores económicos e que «hoje têm reservas quanto a este caminho».

«Era bom que aqueles que têm ao longo deste período mostrado a sua discordância sobre o caminho do Governo pudessem comentar estes resultados à luz de um desempenho que se encontra em linha de convergência com a Europa», declarou.