“Não é verdade que tenha, rigorosamente, chamado cata-vento ao doutor Rebelo de Sousa”, respondeu o ex-primeiro-ministro, acrescentando que “não se referia a ninguém em particular” na moção de estratégia que apresentou ao congresso dos social-democratas. O problema, acrescentou, esteve “em que foi o próprio professor Rebelo de Sousa que, na altura, achou que aquilo lhe era dirigido”.