O ex-deputado do PSD José Pacheco Pereira considerou esta quarta-feira uma questão da ‘silly season’ aquela que se refere à sua eventual saída de militante do PSD, reclamada pelo parlamentar Duarte Marques.

“Normalmente, a ‘silly season’ é no mês de agosto. Deve ser por causa das alterações climáticas, a ‘silly season’ estendeu-se até ao mês de dezembro e, portanto, não tenho mais nada a dizer sobre isso”, disse Pacheco Pereira aos jornalistas quando questionado sobre as criticas de Duarte Marques, antes de iniciar a apresentação do seu mais recente volume da biografia do carismático líder do PCP Álvaro Cunhal, em Peniche.


Em declarações ao jornal i, o deputado Duarte Marques afirma que "na vida política de Pacheco Pereira, a única coisa que é incoerente é continuar a ser militante do PSD".

O ex-dirigente social-democrata Ângelo Correia também transmitiu que "Pacheco Pereira deseja ser provocado e ser mártir. A vontade dele é manter-se no PSD e esperar que o partido lhe aplique alguma sanção".

Pacheco Pereira, que se escusou a prestar mais declarações sobre este assunto, relativamente às eleições presidenciais disse não ter ainda uma opinião formada sobre em quem irá votar.

“Insisto que irei participar em todos os debates que me pareçam sérios promovidos pelas candidaturas sobre a questão de Portugal, dos portugueses e do seu futuro e o papel da Presidência da República".


José Pacheco Pereira escreveu no seu blogue 'Abrupto': “antes que a Comunicação Social me torne ’propriedade’ de qualquer candidatura presidencial, informo que tenho já prevista a participação em debates e colóquios organizados pelas candidaturas de Sampaio da Nóvoa e de Marisa Matias”

Questionado pela Antena 1 acerca da sua opção por continuar a ser do Partido Social Democrata, o ex-líder parlamentar laranja respondeu que é uma dúvida que coloca a si próprio muitas vezes, mas realçou que evita choques com os estatutos partidários e que nunca apoiou qualquer candidatura contra o partido, "o que não significa que apoie a candidatura do PSD".

Além de deputado à Assembleia da República, José Pacheco já foi eurodeputado e exerceu cargos de vice-presidente da Comissão Política Nacional e do Conselho Nacional do PSD.