O PSD defendeu hoje que as previsões divulgadas pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) mostram que o caminho do Governo «é certo», apesar de «estreito e difícil», destacando a quase duplicação do crescimento previsto.

«Depois do anúncio do senhor primeiro-ministro no domingo, estes dados revelam que estamos no bom caminho e revelam que o caminho é certo, apesar de ser estreito e difícil. Os dados revelam que o crescimento da economia portuguesa quase que duplica na revisão que a OCDE faz em seis meses», declarou o vice-presidente da bancada do PSD Miguel Santos.

O "vice" da bancada social-democrata falava aos jornalistas na Assembleia da República.

No «Economic Outlook», hoje apresentado, a OCDE estima que Portugal cresça 1,1% em 2014 e 1,4% em 2015, perspetivas ligeiramente mais conservadores do que as do Governo e dos credores internacionais, que apontam para um crescimento de 1,2% e de 1,5% este ano e no próximo, respetivamente.

Em relação à trajetória da dívida, a OCDE antecipa que a dívida pública de Portugal continue a subir pelo menos até 2015, atingindo os 130,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014 e os 131,8% no ano seguinte.

«Temos consciência que temos a dívida para resolver, para fazer baixar», argumentou Miguel Santos.

O deputado destacou também, nas previsões, as «notícias muito boas» relativamente ao desemprego, com a previsão de que vá «baixar muito mais do que estava previsto».

«Em termos de défice público, esse grande mostro que tem consumido os recursos do país, os dados revelam também que as metas preveem-se que sejam obtidas este ano, e que no próximo ano conseguiremos um resultado bastante inferior àquilo que estava previsto em um ponto percentual, que é relevante no conjunto do défice», sustentou.