O líder parlamentar do PSD afirmou hoje registar «como espetador» a «intensidade» do debate travado dentro do PS sobre o candidato a apoiar nas próximas eleições presidenciais, mas recusou-se a fazer qualquer comentário político sobre esse tema.

Luís Montenegro falava na Assembleia da República, depois de interrogado por uma jornalistas sobre a posição do líder parlamentar do PS, Ferro Rodrigues, de remeter para um período posterior às eleições legislativas a escolha do candidato socialista a Belém.

«Esse é um problema que está colocado no PS e eu, naturalmente, não me vou imiscuir nas matérias do PS», começou por prevenir Luís Montenegro.

No entanto, Luís Montenegro disse que, «como espetador e agente político», tem verificado que «nos últimos dias tem havido muita intensidade nessa discussão [das presidenciais] dentro do PS».

«Mas apenas e só nessa qualidade me posso pronunciar, até porque não é um problema que tenhamos dentro do PSD», alegou.

De acordo com Luís Montenegro, «o PSD está mobilizado e motivado para cumprir o seu grande objetivo eleitoral mais próximo, que é vencer as eleições legislativas e constituir com o CDS-PP um renovar da maioria absoluta de mandatos na Assembleia da República, tendo em vista levar por diante a governação que começa cada vez mais a ilustrar bons resultados».

«De resto, hoje mesmo pode-se verificar pelo comportamento das nossas exportações e pela forma como as nossas empresas estão a reagir às dificuldades que tiveram de enfrentar nos últimos anos», acrescentou, numa alusão aos mais recentes dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) que indiciam um crescimento de 4,4 por cento das exportações (a par de uma queda das importações) em fevereiro, em comparação com o período homólogo no ano anterior.