A líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, criticou esta quinta-feira a intenção do Partido Socialista em rever, no próximo ano, o regime das taxas moderadoras, apesar do previsível chumbo aos projectos que a oposição apresenta sexta-feira, no Parlamento, noticia a Lusa.

«Eu discordo sempre que não haja uma atitude verdadeira e construtiva na política», disse Ferreira Leite aos jornalistas, na Figueira da Foz, no final de uma visita à Misericórdia local.

Esta quinta-feira, no final da reunião da bancada do PS, o vice-presidente da bancada socialista José Junqueiro disse que o PS recomendará ao Governo uma «avaliação global» das taxas moderadoras para que o regime seja modificado em 2010.

«O PS recomenda ao Governo uma avaliação global das taxas moderadoras com vista ao próximo programa de governo e ao que vai ser realizado em 2010», afirmou o deputado socialista.

Questionado sobre se o PS obteve a garantia do Governo de que o regime das taxas seria alterado, José Junqueiro afirmou que «existe uma concertação com o Governo na matéria», visando modificações em 2010.

«Sempre que há tomadas de decisões que não têm nada a ver com o interesse do país e com a resolução dos seus problemas mas apenas com efeitos mediáticos ou políticos, discordo completamente», comentou Ferreira Leite.

A visita à Misericórdia - Obra da Figueira decorreu sem captação de imagens, proibida no interior das instalações, nomeadamente nos lares de idosos e apenas autorizada nos espaços exteriores.

A líder do PSD, que se apresentou permanentemente de óculos escuros, devido a uma conjuntivite, destacou, no final da visita, como «aspecto relevante» o funcionamento «cada vez mais com menor dependência do Estado» assumido pela instituição da Figueira da Foz, que dá assistência a cerca de 400 pessoas, desde crianças a idosos.

«Isso é um ponto importante, que dá força à instituição e lhe concede um futuro muito mais sólido do que numa situação contrária», disse Ferreira Leite.