A polémica em torno do candidato do PSD à Câmara de Loures, André Ventura, chegou à imprensa espanhola. O jornal El País descreve Ventura como um candidato “racista” e deixa críticas ao PSD, afirmando que o partido de Pedro Passos Coelho tem vindo a exercer uma "oposição errática” desde que perdeu o Parlamento para a esquerda.

O artigo do jornal espanhol foi publicado este domingo com o título “Um candidato racista rompe a coligação portuguesa de centro-direita”.

O El País dá conta das polémicas declarações de André Ventura ao jornal I contra a comunidade cigana, que levaram o CDS a romper a coligação que tinha com o PSD neste município. Recorde-se que, nesta entrevista, o candidato dos sociais-democratas refere, entre outras coisas, que “os ciganos vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado”.

Para o jornal espanhol, Ventura é um candidato que pretende ganhar votos “sem se importar de onde e como, sem distinção de maneiras ou princípios”.

O texto nota que, apesar de não ter travão naquilo que diz (o jornal usa o adjetivo "lenguaraz", que significa "linguarudo"), Ventura é um “homem letrado”, “licenciado em Direito”, que fala várias línguas - "espanhol, árabe, inglês, hebreu e francês”.

O El País explica que o CDS resolveu demarcar-se da sua posição, rompendo com a coligação que tinha com o PSD, mas que o ex-primeiro-ministro Passos Coelho continuou a apoiar a sua candidatura.

E deixa várias críticas aos sociais-democratas. O jornal diz que o PSD ainda não digeriu a derrota no Parlamento, após a vitória nas urnas, e que desde então exerce "uma oposição errática”, "não conseguindo tirar partido dos erros do Governo".