A presidente do PSD, Manuela Ferreira Leite, considerou este domingo, na Maia, «insultuoso» que o partido do Governo, em tempos de crise, se preocupe com a imagem, reafirmando ainda a necessidade de apoiar as PME como forma de criar emprego.

«É absolutamente chocante e insultuoso que o PS, num momento de crise, aquilo com que se preocupa é com a imagem», afirmou a líder social-democrata, no discurso que encerrou uma acção de formação promovida pela JSD para jovens quadros da organização.

Ferreira Leite defendeu que é necessário «ser firme e substituir a ilusão pela realidade», frisando acreditar que os jovens sociais-democratas «não desistem de lutar pelo país».

«Os jovens têm que ser os primeiros a acreditar que, com uma nova política, não há razão para que Portugal não encontre o seu caminho e se aproxime dos níveis de bem-estar do resto da Europa».

«Quem cria emprego são as pequenas e médias empresas (PME) e quem não as apoia não está a fomentar o emprego», defendeu, frisando que «qualquer política que não siga este caminho vai ter como resultado o aumento do desemprego a níveis dramáticos».

Sobrecarregar o futuro

Neste contexto, reafirmou as suas críticas aos grandes projectos de obras públicas defendidos pelo governo socialista, nomeadamente o TGV.

«É verdadeiramente dramático, se não trágico, que o Governo possa concretizar esses projectos, ainda por cima em tempo de crise. A última coisa a fazer para combater a crise são grandes investimentos públicos», defendeu.

Manuela Ferreira Leite sustentou a sua posição alegando que não se deve fazer investimentos «com componentes importadas» porque aumenta o endividamento do país, mas também porque são necessários investimentos «com efeitos hoje e não daqui a muitos anos».

A líder social-democrata frisou ainda que estes grandes investimentos públicos vão «sobrecarregar» as gerações futuras, o que também considerou grave.

«Os mais velhos vão ter como consequência desta política profundamente errada a perda de muitos benefícios de que já usufruíram, mas os jovens nem sequer vão provar esses benefícios», afirmou.

Na cerimónia de encerramento desta acção de formação participou também Pedro Rodrigues, presidente da JSD, que assegurou à líder do partido que «pode contar com um exército forte e mobilizado» para as lutas eleitorais que se aproximam.

«Não queremos trocar Sócrates por Ferreira Leite por sim, mas porque queremos um governo que nos volte a dar esperança, que acredite na juventude», afirmou Pedro Rodrigues.

Para o líder da JSD, «esta geração não se resigna a ter um país na cauda da Europa».

O apoio à líder do partido nas lutas eleitorais foi também assegurado por Marco António Costa, presidente da distrital do PSD/Porto, apesar de reconhecer que ¿nem sempre¿ está de acordo com a direcção nacional do PSD.

«Estarei na primeira linha, ao lado da direcção do partido, para combater o PS», afirmou.