O ministro de Estado e da Defesa Nacional elogiou este domingo a coesão demonstrada pelo PSD no seu XXXV Congresso, em Lisboa, e desejou que os militantes se concentrem em cada ato eleitoral, «no seu momento e lugar», salientando as europeias de 25 de maio.

«Cada coisa no seu momento e lugar. Temos as europeias, a seguir as legislativas e, só depois, as presidenciais. A seu tempo essa matéria será tratada. Estamos na antecâmara das europeias e Paulo Rangel é um excelente candidato. Quando chegarem as presidenciais, com certeza, haverá um candidato com a mesma capacidade de ganhar», disse à chegada ao Coliseu dos Recreios, questionado sobre a hipótese de o antigo líder Marcelo Rebelo de Sousa concorrer à Presidência da República em 2016.

Aguiar-Branco, inquirido sobre o regresso do antigo ministro Miguel Relvas aos órgãos dirigentes sociais-democratas, agora no Conselho Nacional «laranja», considerou-o «positivo, todos os militantes que contribuíram para a unidade do partido, demonstrando essa imagem de marca muito forte e que demonstra que o partido está coeso para os combates eleitorais que vão aparecer».

«Não. É uma reforma pensada, estruturada, em benefício daquilo que é melhor para este tipo de ensino e, portanto, como é óbvio, não foi uma coisa casuística», afirmou ainda, depois de ser sido recebido na rua das Portas de Santo Antão com cânticos protagonizados por estudantes femininas do Instituto de Odivelas, em protesto contra o encerramento daquele estabelecimento.