A distrital social-democrata da Guarda anunciou esta segunda-feira que apoia a candidatura de Rui Rio à liderança do PSD, por considerar que o antigo presidente da Câmara do Porto é um homem que "saberá recentrar" o partido.

Venha quem vier, a distrital da Guarda apoia o doutor Rui Rio. E fá-lo porque nós já conhecemos muito daquilo que ele se propõe fazer no país, se for primeiro-ministro e no partido enquanto líder da oposição, se vier a ganhar a liderança do partido", disse o líder da distrital do PSD/Guarda, Carlos Peixoto, no final de uma reunião da Comissão Política Distrital.

Segundo Carlos Peixoto, a decisão, que foi tomada por consenso, "é uma posição inequívoca" da distrital a que preside.

Sabemos que [Rui Rio] é um homem muito preocupado com as questões da descentralização. Sabemos que é um homem que saberá recentrar o partido, colocá-lo muito mais no centro das preocupações sociais que afetam os portugueses, mas essencialmente porque é um homem que nós sabemos que tem uma preocupação com duas das questões que são, talvez, os dois maiores desafios da sociedade portuguesa e do país nos próximos anos, que é a questão da demografia e a questão da coesão territorial", justificou.

O líder distrital do PSD da Guarda considerou ainda que Rui Rio "não é um centralista" o que, para comissões políticas e para distritos do interior, como é o caso da Guarda, "é absolutamente decisivo" no apoio que a estrutura política lhe decidiu prestar.

Na conferência de imprensa, Carlos Peixoto disse ainda que, apesar de Rui Rio ainda não ter apresentado a candidatura, a distrital que lidera decidiu tornar já público o seu apoio "expresso" ao antigo presidente da Câmara do Porto.

A nossa preferência e o nosso apoio vai para o doutor Rui Rio. Esta é a decisão não só do presidente da distrital da Guarda como também do próprio órgão enquanto órgão colegial", disse.

"Um homem mais fresco"

Carlos Peixoto referiu ainda que, para o PSD/Guarda, Rui Rio apresenta-se "como um homem mais fresco, alguém que não tem conotações nem ligações, nem intervenção direta no passado da liderança do partido".

A distrital entende, acrescentou, que nesta altura da vida do partido não fará sentido que haja "duas candidaturas fortes" que possam, em vez de unir o partido, "dividi-lo e fraturá-lo".

Por isso, "haveria toda a conveniência" que Pedro Santana Lopes "repensasse e não avançasse" com a candidatura, salientou.

O antigo presidente da Câmara do Porto Rui Rio vai apresentar a sua candidatura à presidência do PSD na próxima quarta-feira num hotel em Aveiro, de acordo com uma nota enviada à comunicação social.

Rui Rio irá apresentar publicamente a sua candidatura à presidência do Partido Social-Democrata na próxima quarta-feira, dia 11 de outubro, que, tal como o candidato definiu, não será nem no Porto, nem em Lisboa", é referido na nota.

O anúncio será feito através de uma declaração pública, aberta aos militantes e à comunicação social, e terá lugar num hotel em Aveiro, pelas 18:30.