O presidente do PSD/Açores pediu explicações ao Governo Regional sobre as medidas de combate ao desemprego, que têm aumentado na região, considerando que o problema não pode continuar a ser justificado com a crise nacional e internacional.

«Algo tem de ser visto e revisto e não podemos continuar a assacar responsabilidades para fora da região, para a República e para a crise internacional», afirmou Duarte Freitas aos jornalistas, na Horta, após uma reunião com a direção da Câmara de Comércio e Indústria dos Açores.

«Porque se nós temos mil milhões de euros para executar [do orçamento regional] e temos um governo na região, esse governo é para encontrar soluções, especialmente para aquelas que encontra serem bem implementadas. E não aquilo que tem vindo a acontecer, que é por cada medida anunciada pelo governo de Sérgio Ávila e Vasco Cordeiro [vice-presidente e presidente do executivo açoriano] temos mais desemprego, temos mais empresas a falir», afirmou.

Duarte Freitas sublinhou que o próprio executivo socialista dos Açores tem dito que já implementou 67% das medidas previstas na Agenda Açoriana para a Competitividade e o Emprego, lançada no final de 2012.

No entanto, nesse período, o número de desempregados nos Açores passou de cerca de 18 mil para 22 mil pessoas, sublinhou, considerando «preocupante» a evolução destes números.

Duarte Freitas lembrou que o PSD deu contributos e o seu «acordo de princípio» para a adoção da agenda em causa, no entanto, dada a sua «ineficácia», questiona a forma como tem sido implementada e executada.

«À partida, as medidas em si iam no bom sentido (...). Mas a sua implementação tem sido mais de retórica, de anúncios quase diários, do que, na prática, de soluções para as pessoas que estão a perder o emprego», acrescentou, dizendo que «há algo a refletir aqui».