O secretário-geral do PS, António José Seguro, afirmou esta sexta-feira que o seu partido e a democracia portuguesa vivem uma situação única, com uma contestação a um líder que ganhou duas eleições e está legitimado democraticamente.

De acordo com fonte oficial socialista, esta posição foi transmitida por António José Seguro logo na intervenção de abertura da reunião extraordinária do Secretariado Nacional do PS, que ocorre na véspera da Comissão Nacional que tomará a decisão se este partido terá em breve eleições diretas e um congresso extraordinária.

António José Seguro, perante os restantes membros da sua direção, fez uma intervenção curta.

«Quero ouvir-vos antes de tomar a minha decisão que vou anunciar, em primeira mão, à Comissão Nacional do PS», que se realiza sábado, no Vimeiro, referiu Seguro, citado pela mesma fonte deste partido.

Depois, António José Seguro considerou que se vive «uma situação única no PS e na democracia portuguesa: A contestação a um líder que ganhou duas eleições e que está legitimado democraticamente».