O secretário-geral do PS, António José Seguro, alertou, nos Açores, que veem ai mais cortes depois das autárquicas, o que constitui «uma violação de direitos e uma enorme insensibilidade social» do Governo de Passos Coelho.

«Veem aí mais cortes. Estão a ser feitos às escondidas, a ser preparados para ser executados depois das eleições autárquicas e começam já pelos cortes nas pensões e reformas. Não tem sentido nenhum que assim se faça», afirmou António José Seguro durante um jantar comício socialista, terça-feira à noite, em Ponta Delgada, nos Açores.

Para António José Seguro, «o que está em causa não é só uma violação de direitos, mas também uma enorme insensibilidade social», que significam mais austeridade, mais recessão e mais desemprego.

Seguro considerou que o primeiro-ministro insiste na receita da austeridade porque pretende destruir o Estado Social, «o que significa menos saúde, menos educação e menos proteção social» para os portugueses.

«A nossa responsabilidade é defendermos esse Estado Social, porque quando o primeiro-ministro quer cortar no Estado Social, verdadeiramente, o que ele está a fazer é retirar o acesso à Educação, Saúde e Segurança Social de uma parte importante dos portugueses e isso nós não permitiremos», sustentou o líder socialista, acrescentando que a defesa do Estado Social «não é um capricho socialista», que foi construído por gente de esquerda e de direita.

Seguro voltou a acusar Passos Coelho de aplicar uma receita que «não cumpriu nenhuma das suas metas orçamentais» e cujas consequências sociais e económicas «têm sido altamente prejudiciais» para o país, que tem uma «dívida pública superior a 130% e quase um milhão de desempregados».

Além de uma audiência com o presidente do Governo Regional dos Açores, o socialista Vasco Cordeiro, e da reunião com os candidatos socialistas às seis autarquias da ilha de São Miguel, o Secretário-geral do PS participou num jantar comício em Ponta Delgada para manifestar apoio e confiança na vitória do PS/Açores nas próximas eleições autárquicas de 29 de setembro.