A ex-ministra da Saúde Maria de Belém recusou esta sexta-feira a comentar o apoio que recebeu da eurodeputada socialista Ana Gomes para que se candidate a Presidente da República, alegando que a sua preocupação são as eleições legislativas.

«Estou preocupada com as eleições legislativas. É esse o meu foco», declarou à agência Lusa a deputada e ex-presidente do PS.


Na quinta-feira à noite, durante a reunião da Comissão Política do PS, a eurodeputada socialista Ana Gomes sugeriu Maria de Belém Roseira como hipótese de candidata nas próximas eleições para a Presidência da República, caso o antigo primeiro-ministro a atual Alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), António Guterres, não avance.

Em declarações aos jornalistas, Ana Gomes defendeu que 40 anos após o 25 de Abril de 1974 é altura de Portugal ter uma mulher como Presidente da República.

De acordo com membros da Comissão Política do PS, a hipótese de Maria de Belém se candidatar a Presidente da República é também «bem vista» pela direção do Departamento das Mulheres Socialistas, liderada por Isabel Coutinho.

Sobre este tema, na reunião da Comissão Política, o secretário-geral do PS, António Costa, disse que todas as sugestões de candidaturas presidenciais no espaço político dos socialistas são «bem-vindas».

Até aqui, perante o cenário de António Guterres recusar uma candidatura a Belém, têm-se colocado os nomes do ex-comissário europeu António Vitorino e do professor universitário Sampaio da Nóvoa.