O secretário-geral do PS, António José Seguro, sublinha que o programa de assistência da troika falhou os seus objetivos fundamentais.

Portugal sai da troika sem programa cautelar

«Os portugueses estão a pagar caro por este resultado: os impostos, salários, pensões, desemprego. Os portugueses estão piores do que há 3 anos atrás, o programa acaba e a austeridade continua», sublinhou o líder socialista, a reagir ao anúncio de Passos Coelho de que Portugal vai sair do programa da troika sem recurso a um programa cautelar.

António José Seguro referiu que a decisão do Governo deve-se essencialmente a taxas de juro baixas nos mercados, «o que não tem a ver com indicadores no nosso país». Para o PS, o stock da dívida continua a estar no centro das preocupações «de qualquer político responsável do nosso país».

Seguro adiantou ainda que o PS continuará firme nas suas prioridades e que em breve serão apresentadas propostas para a capitalização das empresas.

«O PS sempre desejou que Portugal regressasse a mercados sem necessidade de ajuda financeira, mas é bom lembrar que a taxa de juro não está garantida, é necessário prudência e não entrar em triunfalismos», avisou.