O líder do PS, António José Seguro, disse este sábado que o partido vai exigir, no devido tempo, esclarecimentos sobre os motivos da morte de bombeiros no combate às chamas e das falhas na prevenção e nos meios aéreos.

«Haverá muito a fazer, no tempo devido, para que sejam completamente esclarecidos os motivos destas mortes e das falhas na prevenção e nos meios aéreos», afirmou.

O secretário-geral socialista considerou que «são demasiadas mortes e feridos para serem contabilizadas como acidentes de percurso e em lamentos institucionais».

Nesse sentido, adiantou que, «noutro momento e na forma institucional apropriada, o PS tomará as iniciativas adequadas», alegando que «o país não pode aceitar que se encare esta tragédia, ano após ano, como uma inevitabilidade e uma fatalidade».

Seguro referiu-se à morte de cinco bombeiros no combate às chamas, desde o início deste mês, no discurso de encerramento da Universidade de verão do PS, em Évora.

O líder do PS expressou «solidariedade e apoio aos bombeiros, à proteção civil, às famílias das vítimas e a todos quantos sofreram prejuízos patrimoniais» e defendeu que «este não é o momento para analisar a questão dos incêndios».

«Nunca concordei em fazer da política um mero jogo de oportunidades. Mais ainda, quando estão em causa as vidas e os pertences de milhares de portugueses», referiu.