O deputado do PSD António Leitão Amaro defendeu, esta quinta-feira, que o Governo protagonizou um "momento falhado" de apresentação do Orçamento do Estado, que "revela atrapalhação" e "inspira pouca confiança".

"Este foi um momento falhado da parte do Governo. É mais um adiamento na conclusão do Orçamento do Estado. Revela atrapalhação no processo orçamental e inspira pouca confiança. Confiança, pelo contrário, é o que Portugal recuperou nos anos anteriores e é o que Portugal precisa de retomar depressa", afirmou Leitão Amaro aos jornalistas, numa declaração no parlamento.


O Governo aprovou esta quinta-feira o esboço de Orçamento do Estado para 2016, que inclui uma previsão de défice de 2,6% do PIB para este ano, menos 0,2 pontos percentuais do que o previsto no programa do executivo, tendo o ministro das Finanças, Mário Centeno, recusado avançar mais informações, que remeteu para uma conferência de imprensa a realizar na sexta-feira, depois de entregar o documento no parlamento.

Apesar de reservar para depois do conhecimento do documento uma reação mais desenvolvida, Leitão Amaro considerou que "há qualquer coisa de estranho nestes números apresentados".

"Repare-se que esta redução de défice que é apresentada, e que ainda assim nos parece insuficiente, acontece com medidas que são conhecidas de aumento da despesa e redução da receita. Como é que isso é possível? É mais um fator de estranheza", questionou o deputado social-democrata.

Leitão Amaro começou por dizer que "estava marcada uma conferência de imprensa" por parte do Governo e o que aconteceu foi "um ato falhado, pouca informação, nenhuns detalhes".

"Isso não é um problema em si, é um problema porque revela atrapalhação", declarou, insistindo sempre na ideia de que não é uma atitude que inspire confiança e que o Governo do PS apoiado pela maioria de esquerda no parlamento tem colocado em causa a confiança interna mas também a "confiança externa de Portugal", o que "é decisivo" para o investimento e criação de emprego.