O primeiro-ministro e secretário-geral do PS apelou, este sábado, à mobilização dos socialistas em torno das candidaturas presidenciais de Sampaio da Nóvoa e Maria de Belém e equiparou a primeira volta das eleições a umas primárias da esquerda portuguesa.

De acordo com a Lusa, António Costa falava no discurso de abertura da Comissão Nacional do PS, ocasião em que reiterou a defesa da ausência de um candidato oficial por parte do PS. Mas António Costa também frisou que "é dever dos militantes e simpatizantes socialistas de se bater" por uma das candidaturas da área do PS: Sampaio da Nóvoa ou Maria de Belém.

O líder socialista considerou que a primeira volta das eleições presidenciais será uma espécie "de eleições primárias da esquerda portuguesa" e, caso haja segunda volta, passe a esta fase Sampaio da Nóvoa ou Maria de Belém, "terá de haver concentração de votos".
 

Carlos César declara apoio pessoal a Sampaio da Nóvoa


O presidente do PS, Carlos César, manifestou este sábado o apoio pessoal à candidatura presidencial de Sampaio da Nóvoa, considerando que tem a "distância útil" e a "proximidade política e estratégica mais conveniente" para os socialistas.

"Creio que a candidatura de Sampaio da Nóvoa tem a distância partidária útil e suficiente, e a proximidade política e estratégica com o PS mais conveniente para um voto consciente de um socialista em Portugal", declarou Carlos César à entrada para a reunião da Comissão Nacional do PS. 

De acordo com a Lusa, Carlos César caraterizou também como "ajuizada" a opção oficial do PS de conceder liberdade de voto aos seus militantes nas eleições para a Presidência da República. O presidente do PS alegou que há dois candidatos em disputa provenientes da área socialista: o ex-reitor da Universidade de Lisboa Sampaio da Nóvoa e a antiga ministra da Saúde Maria de Belém.