O antigo dirigente socialista António Vitorino assegurou que "é no euro que Portugal vai vencer", embora admitindo a necessidade de reforma da moeda única na Convenção Nacional do PS, que decorre esta sexta-feira e no sábado em Lisboa.

"Reitera a intenção clara do PS - queremos permanecer no euro e é no euro que Portugal vai vencer", declarou, no Coliseu dos Recreios, sobre o programa eleitoral socialista, que deverá ser ratificado durante o encontro.

O ex-comissário europeu da Justiça e Assuntos Internos lembrou que dentro de uma semana se comemoram 30 anos desde que o histórico líder do PS, Mário Soares, "tomou a decisão certa para defender os interesses de Portugal", ao aderir à União Europeia, para que o país estivesse "no núcleo central de aprofundamento".

"Temos consciência que é necessário um quadro de propostas que alterem a arquitetura e certas regras de funcionamento do euro. São imprescindíveis para que o projeto europeu tenha futuro. A crise e forma como foi gerida pelas instâncias europeias criou uma fratura entre norte e sul, entre credores e devedores", lamentou.

O também antigo ministro da Presidência do Conselho de Ministros e da Defesa Nacional num executivo liderado por António Guterres recordou ainda os "pais fundadores dos tratados [europeus], como Monet ou Delors, que defendiam o princípio da igualdade entre estados-membros.

"Na Europa, se os países são diferentes os Estados, esses sim, são todos tratados por igual. Este sim é o verdadeiro espírito europeu", defendeu.