O histórico socialista António Arnaut afirmou, em Coimbra, que o secretário-geral do PS deve convocar um congresso do partido «para dizer aqui estou».

António José Seguro «deverá, ele próprio, convocar um congresso para dizer "aqui estou" e, depois, os militantes que escolham democraticamente», sustentou o antigo ministro e fundador do Serviço Nacional de Saúde, que falava aos jornalistas, hoje, em Coimbra, à margem da cerimónia em que lhe foi atribuído, pela Universidade daquela cidade, o título de doutor "honoris causa".

«Se há um problema político, que se resolva politicamente, democraticamente», apelou António Arnaut, defendendo a realização de um congresso do PS, dizendo não ver «mal nenhum nisso».

Afirmando-se «amigo de António José Seguro e de António Costa», o antigo dirigente socialista considerou que «o secretário-geral [do PS] tem uma legitimidade afirmada em dois congressos» e que «António Costa tem a legitimidade de ser candidato», como ele próprio, António Arnaut, tem «legitimidade para ser candidato ¿ já não tenho é idade para isso».

António Arnaut adiantou que «não estava à espera» do anúncio de António Costa, manifestando a sua disponibilidade para assumir a liderança do PS, «mas as coisas acontecem inesperadamente», sustentou, sublinhando que ele próprio «também não estava à espera» da distinção que lhe foi atribuída pela Universidade de Coimbra «e ela aconteceu».

O diferendo no seio do Partido Socialista «vai resolver-se porque ambos [Seguro e Costa] são pessoas adultas, que conhecem as necessidades do país, que sabem que não pode haver uma crise [política], pelo menos prolongada», sublinhou.

Revelando que não vai apoiar nem Seguro nem Costa, que vai «ficar distanciado» desta disputa pela liderança do PS, pois é «amigo dos dois e ambos são bons quadros ¿ um tem uma legitimidade afirmada, outro espera que lha afirmem».

O PS «sempre viveu disso ¿ no tempo de Mário Soares houve vários problemas semelhantes» ¿ e a situação «vai ser ultrapassada pela boa vontade, compreensão e sentido de Pátria que todos devem ter», salientou Arnaut.

O cofundador do PS encontrou-se com o líder do PS após a sessão, na Sala dos Capelos, na Universidade de Coimbra, mas não teve «tempo para lhe dar conselhos», tendo-se limitado a, «como disse o outro», a dizer-lhe: «olha, aguenta, aguenta», ironizou António Arnaut.

António José Seguro foi um dos convidados que hoje participaram na cerimónia de doutoramento "honoris causa" de Arnaut, na qual também estiveram presentes, designadamente, o Ex-Presidente da República Jorge Sampaio, a presidente do PS, Maria de Belém Roseira, e o seu antecessor no cargo, Almeida Santos, o presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, o presidente da Associação 25 de Abril, tenente-coronel Vasco Lourenço, e o coordenador do Bloco de Esquerda, João Semedo.