O candidato do Partido Unido de Reformados e Pensionistas (PURP) pelo círculo de Lisboa, António Mateus Dias, disse hoje ter "boas expetativas" para as eleições, que serão marcadas pela “forte expressão dos pequenos partidos”.

Numa ação de campanha em Algés, no concelho de Oeiras, António Mateus Dias distribuiu folhetos a quem passava, ao mesmo tempo que se apresentava como membro do "novo partido que vai olhar pelos idosos e pensionistas".

Poucos tinham ouvido falar do PURP, mas mostraram-se recetivos à novidade.

"Temos é de correr com esta gente de lá para fora", respondeu um homem que fazia compras no Mercado de Algés.

Maria de Jesus, com 75 anos, é vendedora, pois a reforma de 360 euros que recebe “não me dá para nada”.

“Sou doente. [a reforma] Serve apenas para não passar fome", lamentou.

António Mateus Dias prometeu defender os idosos e, à Lusa, mostrou-se otimista.

"As pessoas estão muito recetivas. Ouvem-nos, querem saber. Por isso, tenho boas expetativas para o dia 04 de outubro e esperamos ter grupo parlamentar", afirmou.

O candidato do PURP reconheceu, também, que há outros novos partidos com boas propostas.

"As pessoas estão tão descrentes com os políticos, estão tão fartas de serem sempre os mesmos a deixar o país como está, com esta austeridade. Por isso, eu não tenho dúvida que estas eleições serão marcadas pela forte expressão dos pequenos partidos", sustentou.

Criar um estatuto do doente crónico, a revisão do estatuto do idoso, criar um organismo governamental dirigido para o idoso e família e a revisão das tabelas de incapacidade, são algumas das propostas do PURP.