A audição no Parlamento Europeu ao comissário designado por Portugal para o futuro executivo comunitário, Carlos Moedas, decorrerá a 30 de setembro, confirmou esta quinta-feira a conferência de presidentes da assembleia.

Os presidentes dos grupos políticos do parlamento aprovaram, em Estrasburgo, o calendário definitivo das audições aos comissários designados para a nova Comissão Europeia liderada por Jean-Claude Juncker, e, como constava do calendário provisório, Carlos Moedas, a quem foi atribuída a pasta da Investigação, Ciência e Inovação, será dos primeiros comissários a comparecer perante os eurodeputados, logo no segundo dos sete dias de exames, apurou a Lusa.

Carlos Moedas terá a sua audição perante a comissão parlamentar de Indústria, Investigação e Energia na manhã de 30 de setembro - entre as 09:00 e as 12:00 locais -, sendo o quinto comissário indigitado a ser questionado pelos eurodeputados, depois de, na véspera, terem lugar audições aos comissários designados por Alemanha, Suécia, Croácia e Malta.

A comissão parlamentar de Investigação é presidida pelo polaco Jerzy Buzek, antigo presidente do Parlamento Europeu e que é também responsável pela supervisão do conjunto das audições aos comissários indigigatos para a «Comissão Juncker».

Da comissão fazem parte os eurodeputados portugueses Carlos Zorrinho (PS), membro efetivo, e João Ferreira (PCP) e Marisa Matias (Bloco de Esquerda), membros suplentes.

As audições aos comissários indigitados decorrerão até 07 de outubro, devendo a conferência de presidentes do Parlamento ¿ que reúne os líderes dos grupos políticos ¿ reunir-se a 09 de outubro para avaliar as audições.

A 22 de outubro, em Estrasburgo, França, a assembleia irá então pronunciar-se sobre se aceita ou não a Comissão no seu todo (Juncker já foi eleito pelo hemiciclo em julho passado).

A «Comissão Juncker» deve suceder à Comissão Barroso a 1 de novembro.