O projeto de programa eleitoral do PS, apresentado esta quarta-feira, prevê a revisão do processo de recrutamento de educadores e professores, visando suspender a realização da prova de avaliação de capacidades e conhecimentos dos docentes.

A "reponderação" dos fundamentos desta prova de avaliação de capacidades e conhecimentos é uma das medidas equacionadas pelos socialistas e que estará em debate público até 6 de junho, data em que o programa eleitoral do PS terá uma aprovação definitiva em Convenção Nacional do partido.

Em matéria de educação, no projeto de programa também se refere o objetivo de "garantir uma maior estabilidade ao corpo docente, utilizando mecanismos de incentivo à localização de professores em zonas menos atrativas".

Neste capítulo, o PS quer promover a "redução da rotação dos professores por diferentes escolas, garantindo que a colocação dos professores permite o acompanhamento dos alunos durante um ciclo de ensino."

À entrada para a reunião da Comissão Política Nacional do PS desta quarta-feira à noite, que procederá a uma primeira apreciação deste documento dos socialistas, o coordenador do programa eleitoral, João Tiago Silveira, afirmou que o processo de debate público em curso "já teve uma participação cívica muito significativa, tendo chegado a mais de 1600 propostas."

"Agora, que temos o documento em cima da mesa, abrimos uma nova fase, com uma discussão até dia 5 de junho para a aprovação final do programa do PS", disse.

Neste contexto, João Tiago Silveira advertiu que "todas as posições apresentadas no projeto de programa estão ainda para debate público."

"Claro que há compromissos que já foram assumidos pelo secretário-geral do PS, António Costa, que honraremos. Mas estas propostas são para debate público", salientou o diretor do Gabinete de Estudos do PS.