A área da Justiça já está «de fora da intervenção da troika», informou este sábado fonte oficial do gabinete do vice-primeiro-ministro. O programa negociado com a troika para a Justiça ficou fechado no âmbito da 11ª e penúltima avaliação ao programa de resgate.

«Nesta 11.ª avaliação já não se realizaram todas as reuniões previstas, pois a intervenção foi dada por concluída na quarta-feira e o programa dado por encerrado, não se realizando a 12.ª avaliação», adiantou o gabinete liderado por Paulo Portas.

Uma das medidas acordadas com a troika foi a reorganização do mapa judiciário. O diploma regulamentar da Reorganização Judiciária foi aprovado em Conselho de Ministros no dia 6 de fevereiro e prevê o encerramento de 20 tribunais e a conversão de 27 tribunais em secções de proximidade.