Sampaio da Nóvoa vai continuar na corrida a Belém.O anúncio foi feito há instantes na sede de campanha em Lisboa.

Recorde-se que a possibilidade de Sampaio da Nóvoa desistir da corrida a Belém foi sendo avançada  ao longo da semana, depois do mau resultado do PS nas legislativas e da confirmação da candidatura de Maria de Belém. 

Na altura em que o antigo reitor da Universidade de Lisboa decidiu avançar, teria o apoio garantido de António Costa, mas o cenário foi-se alterando nos últimos meses.

"Falta um presidente da república que seja capaz de representar todos os portugueses e de construir compromissos históricos, num tempo tão exigente da nossa vida coletiva. Um presidente que não exclua ninguém, que não esteja refém de interesses particulares ou de lógicas partidárias, um presidente capaz de acolher a apoiar as alianças necessárias à estabilidade governativa"


Sampaio da Nóvoa defendeu ainda que os portugueses já o conhecem melhor, a esta altura, nomeadamente a sua determinação e compromisso". e afirma que tem recebido palavras de incentivo de todo o páis, de independentes e de militantes e simpatizantes de todos os partidos com assento parlamentar.

"Agora é que é mesmo preciso um presidente presente, um presidente capaz de acordar Portugal, um presidente de causas. Agora é que é mesmo necessária uma candidatura independente"


Para Sampaio da Nóvoa, o PR deve ser árbitro e não jogador e árbitro ao mesmo tempo, uma vez mais a criticar o mandato de Cavaco Silva, mas sem se referir ao atual PR, especificamente. O interesse nacional tem de estar sempre acima dos interesses particulares, defendeu.

"A minha fronteira nao é entre esquerda e direita. É entre aqueles que estão ao serviço da República e aqueles que dela se querem servir"