O Presidente da República sublinhou esta quarta-feira que, para defender os interesses de Portugal no plano externo, é necessária uma "concentração aprofundada" entre o Presidente da República e o Governo para assegurar "sintonia de linguagem". As declarações do chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, foram feitas aos jornalistas à chegada a Bekkjarvik, uma ilha nas proximidades de Bergen.

"Esta visita confirma que para defender os interesses de Portugal no plano externo é preciso uma concertação aprofundada entre o Presidente da República e o Governo, por forma a assegurar sintonia de linguagem."


Recordando que nesta visita oficial à Noruega, que termina esta tarde, esteve acompanhado por quatro ministros - Agricultura e Mar, Ambiente, Educação e Defesa - Cavaco Silva enfatizou a necessidade dos governantes expressarem "posições convergentes" com a do Presidente da República nos contactos que estabelecem com os seus homólogos noruegueses.

"Sem essa sintonia não há possibilidade de defender os interesses do país no plano externo."


Por outro lado, continuou, a visita à Noruega permitiu também confirmar que a defesa dos interesses de Portugal no plano externo é "uma das funções mais importantes do Presidente da República nos tempos que correm".

"Para além dos contactos que tive com o rei e com a primeira-ministra e membros do governo da Noruega eu fui chamado a participar e a intervir em dois seminários orientados para a investigação e a biotecnologia marinha, fui chamado a participar em dois encontros com empresários e a intervir nesses encontros, orientados para a energia, para o investimento e para as relações comerciais."


A visita oficial do Presidente da República à Noruega começou na segunda-feira em Oslo e termina esta quarta-feira em Bergen, onde o chefe de Estado chegou na terça-feira à tarde.