Sampaio da Nóvoa apresentou esta segunda-feira os 40 mandatários nacionais das causas da sua candidatura à Presidência da República, entre os quais Eduardo Lourenço, Gomes Canotilho, Pilar del Rio, António Arnaut e Vasco Lourenço.

"Quisemos que fossem sempre dois, um homem e uma mulher, para assim simbolizar a igualdade, a igualdade de género, todas as igualdades, que estão na matriz desta candidatura", explicou o candidato presidencial numa sessão onde também foi revelado que o constitucionalista Jorge Miranda preside à comissão de honra da candidatura.


Falando perante quase todos os 40 mandatários das 20 causas escolhidas, Sampaio da Nóvoa justificava assim o facto de, para cada uma das causas, existir um mandatário e uma mandatária, começando logo pela ‘função' de mandatários nacionais que é partilhada pelo ex-ministro Correia de Campos e a cantora Teresa Salgueiro.

Como coordenadores nacionais das causas foram escolhidos a ex-ministra Gabriela Canavilhas e antigo secretário-geral da CGTP Manuel Carvalho da Silva.

A jornalista e mãe do primeiro-ministro, Maria Antónia Palla, e o antigo capitão de Abril Vasco Lourenço são os mandatários da causa do "25 de Abril e Liberdades".

A deputada socialista Isabel Moreira e o constitucionalista Gomes Canotilho são os mandatários dos "Assuntos Constitucionais", enquanto a causa do "desporto" é partilhada por Rosa Mota e Carlos Lopes.

Na causa da "língua portuguesa", os mandatários são Lídia Jorge e Eduardo Lourenço e na causa dos "movimentos sociais e cidadania" os escolhidos foram Pilar del Rio e António Pedro Vasconcelos.

Ana Maria Bettencourt e António Arnaut são os mandatários da causa dos "serviços públicos", Elza Pais e Miguel Vale de Almeida são os mandatários da causa da "Igualdade e combate às discriminações" e Ana Gomes e Rui Tavares ‘dividem' a causa da União Europeia.

As outras causas escolhidas pela candidatura de Sampaio da Nóvoa são "ambiente e alterações climáticas” (com os mandatários Júlia Seixas e Filipe Duarte Santos), "cidadania sénior” (Rosário Gama e António Betâmio de Almeida), "cidades e desenvolvimento territorial" (Maria do Céu Albuquerque e João Ferrão), "combate à pobreza e exclusão social” (Isabel Guerra e Alfredo Bruto da Costa), "conhecimento" (Sofia Aboim e Miguel Castanho) e "cultura" (Maria do Céu Guerra e Rui Vieira Nery).

Existem ainda mandatários para as causas da "diáspora" (Ana Maria Faria e Hermano Sanches Ruivo), "economia e inovação (Inês Santos Silva e Fortunato Oliveira Frederico), "juventude" (Sandra Barata Belo e Miguel Gonçalves Mendes), "mar" (Vanda Nunes e Mário Ruivo), "segurança e defesa" (Helena Carreiras e Fernando Melo Gomes) e "trabalho" (Guadalupe Simões e Sérgio Monte).