"É preciso uma Presidente que se bata pelo país, que o defenda em todos os momentos, mesmo os mais difíceis" e "a posição da maioria e do Governo era a da integração [do Banif] na Caixa Geral de Depósitos", o que "seria uma mensagem forte para Bruxelas da Presidente", vincou a dirigente bloquista.



"Mas, numa situação extrema, que poderes tinha o Presidente que não, em última instância, viabilizar este orçamento retificativo? Demitia-se ou dissolvia a Assembleia da República?", questionou Edgar Silva, invocando o "sentido de responsabilidade".




teste nuclear por parte do regime comunista da Coreia do Norte