O objetivo político de Maria de Belém é ajudar o PS a ter "um grande resultado" nas eleições legislativas, segundo a própria. A ex-presidente socialista recusa-se a comentar uma sua eventual candidatura à Presidência da República.

"A minha disposição é fazer tudo para ajudar o PS a ter um grande resultado nas próximas eleições legislativas"


Maria de Belém falava à Lusa depois de ter sido questionada se terá alegadamente recusado um convite do secretário-geral do PS, António Costa, para integrar as listas de candidatos a deputados nas próximas eleições legislativas, ficando assim livre para uma candidatura suprapartidária às eleições presidenciais de 2016.

"Não comento nada disso. São notícias que não sei qual a origem", frisou a ex-presidente do PS, que tem sido encarada por setores do centro esquerda político como potencial alternativa à candidatura presidencial já no terreno do ex-reitor da Universidade de Lisboa Sampaio da Nóvoa - candidatura que tem o apoio dos antigos chefes de Estado Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio.

A sugestão para que Maria de Belém fosse candidata a Presidente da República foi primeiro lançada pela eurodeputada socialista Ana Gomes, durante uma reunião da Comissão Política Nacional do PS realizada no passado dia 29 de janeiro.

Ana Gomes, nessa sua intervenção, defendeu que, 40 anos após o 25 de Abril de 1974, chegara o momento de Portugal ter uma mulher nas funções de Presidente da República.