Pedro Santana Lopes, que leu nas palavras de Cavaco Silva que ele se incluía no perfil de seu sucessor, excluindo o conselheiro de Estado e comentador da TVI.


O professor deixou uma lição a Pedro Santana Lopes: «Acho mais importante lidar bem com o país. Sarkozy era ótimo em política externa e perdeu as eleições».

«Hoje é praticamente impossível uma pessoa que tem a liderança de um partido, que tem a liderança de uma autarquia importante como o Porto, que tem a liderança de uma central sindical ou de uma universidade, é muito difícil não estar metido nas relações internacionais. O Presidente não é presidente dos europeus nem dos africanos nem dos americanos, é Presidente dos portugueses. Sendo fundamental a política externa é mais importante o poder de concertação interna para o futuro Presidente», explicou Marcelo Rebelo de Sousa.






«É muito abrangente este perfil», conclui o professor.

«Nos tempos que correm, os interesses de Portugal no plano externo só podem ser eficazmente defendidos por um Presidente da República que tenha alguma experiência no domínio da política externa