António Guterres pode estar definitivamente afastado da corrida presidencial na sucessão a Cavaco Silva, uma vez que a Assembleia-Geral das Nações Unidas prolongou  na segunda-feira o mandato do português até ao final deste ano, noticia a TSF.  António Guterres, Alto-comissário da ONU para os Refugiados,  foi eleito para o cargo da ONU para os Refugiados (ACNUR) em junho de 2005 e foi reeleito cinco anos depois para um segundo mandato, que terminaria em junho deste ano. A tempo das eleições.  

Questionado pelo jornal «Público», Guterres foi lacónico: «Tanto me faz». Mas a decisão do antigo primeiro-ministro de avançar para Belém ainda não está tomada, apurou o jornal.

A decisão tomada pela Assembleia-Geral da ONU de prolongamento do mandato até ao final de 2015 foi recomendada pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Portugal foi um dos países que  concordou com a decisão.

O prolongamento do mandato justifica-se com os problemas dos refugiados que se vivem hoje em dia no mundo e a necessidade de que o ACNUR funcione sem interrupções. O número de refugiados aumentou consideravelmente devido aoa conflitos armados e de guerra civil em países como Síria, Iraque, Ucrânia ou Nigéria.