O secretário-geral do PS, António Costa, garantiu esta terça-feira que o seu nome é o único que está riscado da lista de eventuais candidatos à Presidência da República apoiados pelo partido que lidera.

Questionado pelos jornalistas, em Lisboa, à margem da Assembleia Municipal da cidade, sobre se estaria algum nome «riscado» da lista a candidatos à Presidência da República apoiados pelo PS, António Costa afirmou: «Está o meu [nome riscado], não sou candidato».

De acordo com a última edição do semanário Expresso, António Guterres já informou António Costa de que não está disponível para se candidatar à Presidência da República, independentemente de ser ou não eleito secretário-geral das Nações Unidas. Segundo o jornal, será o próprio a anunciar esta decisão publicamente, mas só depois de estar definido quem é que o PS irá apoiar nas eleições de janeiro de 2016.

António Vitorino, Maria de Belém ou Sampaio da Nóvoa têm sido alguns dos nomes falados como possíveis candidatos presidenciais apoiados pelo PS.

«Eu não serei candidato, isso posso assegurar», afirmou António Costa, esquivando-se assim a responder sobre se já teria sido informado por António Guterres, garantindo que «o PS não apresenta nem apresentará um candidato presidencial, apoia candidatos da sua área política».

De acordo com o secretário-geral do PS, «no momento próprio surgirá uma personalidade com as condições para ser um excelente candidato apoiado pelo PS, militante ou não do partido».

António Costa recordou que, «ao longo da sua história, o PS apoiou três candidatos vencedores – Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio».

«Sempre que os portugueses têm um Presidente da República eleito com o apoio do PS ficam satisfeitos com o Presidente da República que têm. Nunca tiveram um Presidente da República apoiado pelo PS que não enchesse o país de orgulho e satisfação», defendeu.