O PS exigiu esta segunda-feira que o ministro da Economia apresente estudos que sustentem a localização do Montijo para a instalação de um aeroporto complementar ao da Portela (Lisboa) e esclareça a responsabilidade financeira pela construção.

Num requerimento que tem como destinatário o ministro Pires de Lima, o deputado socialista Rui Paulo Figueiredo cita notícias recentes de que a ANA (Aeroportos de Portugal) e o seu acionista Vinci «pretendem avançar com a utilização de um aeroporto que seguirá um modelo Portela +1», no caso, na base aérea do Montijo.

No entanto, na perspetiva de Rui Paulo Figueiredo, esta eventual opção «surge sem que sejam conhecidos os estudos que a sustentem».

Durante audições realizadas na Comissão Parlamentar de Economia e Obras Públicas sobre a Privatização da ANA, Rui Paulo Figueiredo defende que logo aí ficou «claro que o contrato de concessão assinado entre o Estado Português e o grupo francês Vinci, é omisso quanto à responsabilidade de quem vai pagar o quê pela construção de um novo aeroporto».

Uma situação que deixa «o Estado numa posição negocial frágil, uma vez que ou aceita os termos de uma proposta da ANA ou entra em incumprimento com o contrato tendo, neste caso, que proceder ao pagamento de uma indemnização à concessionária» adverte o deputado do PS.

Nestas mesmas audições, ainda segundo o deputado socialista, o Governo «não abordou esta suposta opção agora noticiada pela imprensa», razão pela qual se exige que o ministro da Economia apresente «os estudos comparativos que justificam a opção da base aérea do Montijo como aeroporto de apoio à Portela», bem como estudos efetuados para todas as restantes localizações em causa, nomeadamente Alverca, Sintra, Monte Real e Beja, como refere a Lusa.