A proposta de alteração dos estatutos apresentada pelo presidente Paulo Portas foi este sábado aprovada por maioria e permitirá criar uma nova estrutura, os Autarcas Populares.

A proposta de Paulo Portas (única proposta de alteração aos estatutos) foi aprovada com seis votos contra e quatro abstenções e inclui, além da criação dos Autarcas Populares, o alargamento do número de vogais da Comissão Política Nacional (passa a poder ter entre 20 e 42 elementos) e do Conselho Nacional (passa de 65 para 70).

Paulo Portas pediu a palavra pela primeira vez no Congresso de Oliveira do Bairro (Aveiro) para justificar a criação da nova estrutura Autarcas Populares.

«Esta alteração estatutária é o resultado de o CDS ter deixado por vontade do eleitorado a solidão autárquica; quantas e quantas vezes cada um de nós se lembrou de Ponte de Lima, como exemplo de uma terra bem governada», frisou Portas, recordando que nas últimas autárquicas o CDS conquistou cinco câmaras.

«Essa oportunidade tem de ser aproveitada, apoiando os autarcas e formando os eleitos», justificou, terminando a breve intervenção com uma palavra de reconhecimento ao coordenador autárquico Domingos Doutel.

No final da aprovação das alterações estatutárias, o CDS exibiu um vídeo nos painéis que ladeiam o púlpito com imagens das cinco autarquias onde o CDS ganhou e que, ao som de «New Land», dos Justice, foram sendo acompanhadas por palmas dos delegados presentes.