António Costa integra a lista de personalidades mais influentes da Europa, elaborada pelo Politico, e que inclui 28 nomes. São as pessoas que estão "a moldar, agitar e fazer mexer a Europa", descreve-se neste ranking, que coloca o primeiro-ministro português na 9ª posição.

O Politico olha para Costa como um "socialista bem sucedido", o que é "uma coisa rara na Europa de hoje". "Lutador político", o primeiro-ministro português é alvo de outros elogios:

Conseguiu apresentar-se como um campeão da mudança, capaz de 'virar a página da austeridade'. Demonstrou uma notável capacidade de equilíbrio entre as reivindicações esquerdistas para reverter o aperto de cinto da altura da recessão, e uma [gestão económica] cautelosa que agradou aos investidores estrangeiros e aos parceiros de Portugal na zona euro".

Lembra ainda a vitória histórica do PS nas eleições autárquicas de outubro e os resultados económicos que o país tem alcançado sob a sua governação, apesar de a popularidade de Costa ter sido "abalada" pelas críticas à gestão do Governo nas tragédias dos incêndios florestais de junho e outubro.

A "habilidade política" do primeiro-ministro português é reconhecida interna e agora externamente. E o chefe de Governo enfrenta desafios importantes no próximo ano: a gestão das contas públicas, os acordos à esquerda que apoiam o seu governo minoritário, um novo líder do PSD (maior partido da oposição) em janeiro. 

"O objetivo é garantir uma maioria absoluta nas próximas eleições parlamentares, prevista para 2019", assinala o Politico. Três Orçamentos do Estado já foram aprovados e metade da legislatura já foi cumprida. 

Na lista dos 28 eleitos pelo Politico, há quase o dobro dos homens do que mulheres: 18 contra 10. Os nomes não são, em vários dos casos, os mais sonantes nas notícias mas, segundo aquela influente publicação, estão a fazer o seu papel no tabuleiro europeu. 

No pódio, surgem o líder do Partido Liberal Democrático alemão, Christian Lindner, o ministro do Ambiente britânico, Michael Gove, e a ministra do Trabalho francesa, Muriel Pénicaud. Por esta ordem.

António Costa surge a seguir a Galina Timchenko, jornalista e dissidente russa, com uma "determinação de aço"; e antes do eurodeputado e ex-primeiro-ministro belga Guy Verhofstadt, tido como o "leão liberal" que pode "rugir novamente" no processo do Brexit.