O recém-formado Partido Livre (PL) foi notificado nesta quinta-feira pelo Tribunal Constitucional (TC) da sua legalização, a tempo de concorrer já às eleições europeias, convocadas quarta-feira pelo Presidente da República para 25 de maio, segundo comunicado do partido.

«O Livre recebeu hoje notificação por parte do TC, confirmando a sua legalização como o mais recente partido político português», lê-se no texto intitulado «a Primavera começa hoje».

A nova força política, cujo rosto mais conhecido é o do historiador Rui Tavares, eurodeputado eleito como independente pelo Bloco de Esquerda, mas entretanto incompatibilizado com os bloquistas, terá agora cerca de um mês, tal como as restantes, para apresentar a respetiva lista concorrente ao Parlamento Europeu junto do TC.

O texto expressa «grande satisfação» pela «notícia» da «criação deste espaço de liberdade, da esquerda, da Europa e da ecologia», uma «vontade cívica partilhada por milhares de pessoas», adiantando que a nova força política, «enquanto partido», terá como «referentes os valores da Constituição da República Portuguesa».

«É com orgulho que encaramos o acórdão do TC, - e com humildade, pela responsabilidade de a partir de agora contribuirmos como partido para o reforço da democracia portuguesa e europeia», afirmam os responsáveis.

No início de fevereiro, membros do Livre tinham entregado 9.111 assinaturas no Palácio Ratton com vista à sua legalização, para lá das 7.500 exigidas por lei.